Objetivos

 Em cartaz do dia 25 ao dia 30 de setembro, a peça O Atormentadordo diretor Eid Ribeiro, chega ao Teatro João Ceschiatti do Palácio das Artes. As apresentações acontecem de terça a sábado às 20h, e domingo às 19h. Ao final das sessões é reservado um momento de debate e reflexão entre o público e o diretor da peça.  

Sinopse

O Atormentador é a mais nova peça que o profícuo diretor Eid Ribeiro coloca em cartaz em Belo Horizonte. Após cumprir temporada no Teatro de Bolso do Sesc Palladium, o diretor e dramaturgo dá sequência ao trabalho no Teatro João Ceschiatti com sessões seguidas de debate com o público. O Atormentador não é uma peça de personagens, é uma peça de ideias. As ideias são em suma do atormentador Eduardo Galeano que, sensível e inquieto, muitas vezes colocou sua vida em risco para apoiar o lado dos mais fracos, usando as palavras como arma, tanto para denunciar torturas, mortes e desaparecimentos, quanto para ouvir na clandestinidade líderes dos movimentos de libertação. Experiência extremamente rica com reflexões sociais, humor e poesia, a trama mescla lendas, fábulas, histórias, utopias e distopias numa delicada dramaturgia em que soam as palavras, os movimentos dos corpos e a sutileza dos gestos. Representada por uma dupla de comediantes vestida como nos velhos filmes de cinema mudo, os atores divertem, encantam e emocionam o público com narrativas atuais acerca da sociedade. 

Os escritores 

EDUARDO GALEANO, jornalista e escritor, nasceu em 1940, em Montevidéu, no Uruguai. Autor de mais de quarenta livros traduzidos em diversos idiomas, suas obras transcendem gêneros ortodoxos, combinando ficção, jornalismo, análise política e história. Eduardo Galeano foi um testemunho dos tempos da Guerra Fria, retratando como ninguém uma América Latina em transe guerrilheiro na luta contra a opressão sangrenta das ditaduras apoiadas pelos Estados Unidos. Muito mais que um repórter em tempos de guerra, o escritor aproveitava sua peregrinação pela América Latina deflagrada para ouvir histórias, lendas e fábulas dos povos, deixando seu espírito livre flutuar diante do universo mágico das raízes indígenas e africanas. 

GONÇALO MANUEL DE ALBUQUERQUE TAVARES,escritor português, nasceu em Luanda 1970 e é mais conhecido na forma Gonçalo M. Tavares. Premiado e elogiado pela crítica, estreou em 2001 com “Livro da dança”, e vem se firmando como uma das maiores vozes do romance português contemporâneo. De sua autoria, já foram publicados diversos livros no Brasil. Estão em curso cerca de 370 traduções em trinta e seis línguas, com edição em 51 países. Em Portugal recebeu vários prémios entre os quais o Prémio José Saramago 2005 e o Prémio LER/Millennium BCP 2004, com o romance - "Jerusalém" (Caminho); o Grande Prémio de Conto da Associação Portuguesa de Escritores "Camilo Castelo Branco" com "Água, Cão, Cavalo, Cabeça" 2007 (Caminho). Prémio Branquinho da Fonseca/Fundação Calouste Gulbenkain com "O Senhor Valéry", Prémio Revelação APE com "Investigações. Novalis" Os seus livros deram origem, em diferentes países, a peças de teatro, peças radiofónicas, curtas metragens e objetos de artes plásticas, vídeos de arte, ópera, performances, projetos de arquitetura, teses acadêmicas, etc. O romance "Jerusalém" foi incluído na edição europeia de "1001 livros para ler antes de morrer – um guia cronológico dos mais importantes romances de todos os tempos".

EID RIBEIRO diretor, ator, dramaturgo e roteirista. São dezenas de prêmios ao longo de 50 anos de carreira. Primeiro Lugar no II Concurso Nacional de Dramaturgia da Fundação Clóvis Salgado, com a peça Alma de Gato. Troféu João Ceschiatti/Associação Mineira dos Críticos Teatrais Melhor Diretor do ano. Montagem: O Despertar da primavera Produção: Grupo Carne e Osso. Troféu Kikito – Festival de Cinema Gramado - pela trilha sonora adaptada do filme de longa-metragem: “Elas e os homens”. Troféu Fundacen de Artes Cênicas – Melhor Diretor do ano Montagem: Fim de Jogo. Troféu Cauê – Melhor diretor do ano Montagem: Álbum de Família Produção: Grupo Galpão. Troféu Grande Otelo – 1o Lugar Concurso Nacional de Dramaturgia / SEC Texto: Lágrimas de Guarda-Chuva. Prêmio Coca-Cola para Teatro Infantil / São Paulo Peça: Anjos e Abacates. Prêmio SESC/SATED, Melhor diretor, espetáculo “John e Joe” com Grupo Trama. 7º Prêmio Usiminas/Sinparc, Melhor diretor, espetáculo “No Pirex” com Grupo Armatrux.

O elenco

GLAUCE GUIMA, atriz, dramaturga, diretora, performer e produtora. Formada em Artes Cênicas pela Universidade Federal de MG, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde trabalhou no teatro com diretores como, Domingos Oliveira, Bruce Gomlevsky, Eduardo Wotzik. No cinema, seu trabalho em “BR716” (2016) de Domingos Oliveira, lhe rendeu o Kikito de Melhor Atriz Coadjuvante no Festival de Gramado e Melhor Atriz no FestIn de Lisboa. Desenvolve projetos de autogestão em casas, como “Teatro de Cama” no Rio de Janeiro, e o “Sala para Rapsódias”, em que circula por diferentes estados em sessões líteroperformáticas. Em 2015, escreveu a peça “Ana e Boi”, publicada pela editora Sesi-SP. Em 2016, o espetáculo “Vendaval”, coautoria com Junia Pereira, publicada pela Editora Perspectiva, a partir do projeto Janela de Dramaturgia.

DIEGO ROBERTO é ator Formado no Cefar(t) Palácio das Artes. É integrante da Miúda Cia e Sobrilá Cia de teatro. Atuou em obras dentro desses grupos: "Memória perdia, ou tudo não existe" construção coletiva da Sobrilá, sobre as perspectivas que os atores tem sobre sua cidade. "Todos os Animais são iguais" com direção de Rodrigo Jerônimo, uma adaptação da Sobrilá para obra, A Revolução dos Bichos de George Orwell. Na Miúda atuou como Sr Silva no espetáculo máquina dirigido por Cláudio Dias, e o músico Heraldo em 19:45! Com direção de Rita Clemente. Fora das companhias de teatro que é integrante atuou em "Litoral"com direção do grupo Quatroloscinco teatro do comum; participou como substituto emTacht com direção de Eid Ribeiro. Também atuou em Controle de Estoque de Daniel Toledo e também em "Um grito parado no ar" dirigido por Leonardo Lessa e supervisionado por Eid Ribeiro. 

Ficha técnica

Direção e dramaturgia: Eid Ribeiro 
Atuação: Glauce Guima e Diego Roberto 
Assistente de direção: João Santos 
Criação de luz: Marina Arthuzzi 
Figurinos e objetos cênicos: Marco Paulo Rolla 
Direção de movimento: Suely Machado 
Trilha sonora: Eid Ribeiro e João Santos 
Fotos: Guto Muniz 
Projeto gráfico: Liz Schrickte 
Vídeo do espetáculo: Byron O’Neill 
Teasers: Victor Burgos/ Câmera Lenta 
Redes sociais: Djavan Henrique 
Assessoria de imprensa: Glenda Souza 
Apoio: C.A.S.A - Centro de Arte Suspensa e Armatrux, Grupo de Dança Primeiro Ato e Centro Cultural UFMG 
Produção: Cia Absurda e Aviva Produções
Facebook: O Atormentador 
Instagram: @oatormentador 

Ingressos promocionais: meia entrada no valor de R$10,00, extensivo à classe artística, por meio de comprovação através de carteira de associação ao Sated, Sinparc, ou mediante apresentação de registro profissional (DRT).

Fontes para imprensa: Glenda Souza - Assessora de imprensa - 31 99745-7674 Eid Ribeiro - Direção e dramaturgia - 31 99149-5723 Glauce Guima – Atuação e produção - 31 99153-9124 Diego Roberto – Atuação - 31 99324-5710 - Glauce Guima +55 (31) 99153-9124 +55 (21) 97600-6111 (whatsapp) http://glauceguima.blogspot.com.br/ | https://www.youtube.com/glauceguima

Data de início

25 de Setembro de 2018

Data de término

30 de Setembro de 2018

Endereço

Teatro João Ceschiatti, Avenida Afonso Pena, nº. 1.537, Centro, BH.

Preço

R$20,00 INTEIRA | R$10,00 MEIA | PROMOÇÃO: Vide Texto

Mais informações

COMPRAR INGRESSOS

EVENTO

O Atormentador

HORÁRIOS

25, 26, 27, 28 e 29/09 - 20h

30/09 - 19h

DURAÇÃO DO EVENTO

1h

CLASSIFICAÇÃO 12 ANOS 

INFORMAÇÕES PARA O PÚBLICO

(31) 3236-7400

Banner Rodapé Unimed
Banner Rodapé Vivo
Banner Rodapé Globo Minas